quarta-feira, 17 de março de 2010

O Escorpião


O escorpião aponta o ferrão para si mesmo, mas não hesita em cravá-lo no outro ao menor sinal de ameaça. Simplesmente por apontar o ferrão a si mesmo, vive em constante crise e a depender de como está o mundo ao seu redor, pode ficar agressivo, intolerante, tempestuoso e vingativo.

O escorpião quer o mais intenso e essencial da vida. Tem sede de vida e divide a conquista do amor em dois momentos. O primeiro é o do cortejo, no qual prende o parceiro com seus pedipalpos, os seus braços com pinças. Ao perceber agitação, injeta uma dose de veneno para acalmar o outro. Escorpiões precisam sentir que dominam seu parceiro e não sossegam enquanto não constatam esse ganho. Quando sente que perdeu, se comportará até voltar ao ponto de dominação, mesmo que a custa de mais uma dose de veneno. O problema é que no jogo da dominação não há espaço para o outro ser o que é, só para o outro ser o que o escorpião gostaria que fosse.

Tendo dominado, abre mão facilmente de preliminares, não faz do sexo um jogo de sensualidade. Usa sim a sensualidade como arma adicional ao ferrão, mas deixa de lado na hora do acasalamento. Uma prova de como se satisfaz com a dominação é a dança nupcial, quando prende o parceiro e fica dançando pra frente e pra trás durante quarenta minutos a três horas. A dança é a comemoração da dominação, que precede a cópula, o segundo momento de onde espera tirar todo o prazer da vida.

Usa sua pinça para cutucar o parceiro para ter certeza, a todo momento, se a emoção continua firme. Mesmo que o outro não faça absolutamente nada para alimentar esse sentimento, o escorpião não se cabe de ciúme. Aprecia os extremos, e por isso não se mantêm durante muito tempo em harmonia. Ainda que não haja razão, encontrará alguma para criar um conflito, que é justamente o que precede seus maiores prazeres.

O problema é sua memória para as mágoas. Mesmo assim, surpreende com a rápida recuperação ante as adversidades. Reage rapidamente à presença de pessoas. O escorpião fala mais pelo olhar do que pela boca. Quer entender o que sente o escorpião? Veja o que diz o olho ao invés de ouvir as palavras que saem da sua boca. A fala e o silêncio são duas armas para a predileção a um e outro conflito. Não é de poucas palavras, mas muitas delas são apenas para confundir.

A situação que promete intensidade emocional e grandes doses de entusiasmo são as preferidas do escorpião que se sente protegido, até mais do que deveria, pelas carcaças que recobrem seu corpo. Tem como justificativa a própria natureza para cravar seu ferrão naquele que outrora lhe dera algo e que agora não dá mais. Por um lado, não muda o caminho até terminar o que começou. De outro, se desinteressa por aquilo que foi conquistado como se perdesse a graça.

A inspiração do escorpião é aquela da Grécia Antiga: a estética. O escorpião é um misto de perturbador e fascinante, pousa um olhar devastador sobre suas vítimas. Escolhe quem terá que satisfazê-lo e guia-se pela intuição para tornar seu desejo realidade. Seu maior medo é que invadam a sua intimidade.

Quando se vê encurralado por um inimigo ou cercado pelo fogo, diz a lenda que o escorpião se mata. Há discordância entre cientistas sobre esta história. Uns dizem que ele injeta veneno como um anestésico para o sofrimento, outros dizem que se envenena para fazer o predador ter medo de ingeri-lo, e tem ainda os que afirmam que tudo é um teatro do exemplar único de uma espécie que habita o mundo há 400 milhões de anos e que é capaz de sobreviver a incidentes catastróficos e a se regenerar de situações das mais adversas. Não lhe falta coragem para ocupações árduas e difíceis, mas a verdadeira ambição do escorpião quase sempre permanece oculta, pois têm medo que os outros animais cumpram um boicote.

Se usar da observação, assistirá o outro inerte sob efeito do escorpião. Mas se você é o outro que está diante do escorpião, é bom sacar que está num jogo de estratégias. No dar-se o desfrute de andar descalço ou no escuro, o escorpião aparecerá. Com rapidez injetará o seu veneno. Ao retomar a consciência, toda a sua energia terá sido sugada pelo escorpião.

O segredo, ao se deparar com o escorpião, é deixar que ele pense que está no comando. Como sua obsessão se comporta pelo domínio, sempre que puder economizará veneno para os imprevisíveis encontros de um mundo incerto.

A maior arma para lidar com o escorpião é a transparência. Sabe por quê? Quando se deixa claro os sentimentos, o escorpião tem a sensação de controle. Na verdade uma falsa sensação, promovida por quem se impõe ao soltar pensamentos e limites subentendidos nas palavras que parecem apenas uma descrição de fragilidades.







Para Luciano Fiscina.

Esta crônica deveria ter sido escrita à 4 mãos. Porém, as idéias iniciais de dois cérebros foram trabalhadas no papel apenas por mim pois o outro autor encontra-se sob efeito do doce veneno de um escorpião.

13 comentários:

Pri disse...

Ai que sensação horrível ao ler esse post! E isso é um elogio, pois ao me ver envolvida pelo escorpião e sentir calafrios na descrição do comportamento dele, isso só faz comprovar o quanto o texto foi bem escrito. O bichinho é intrigante. Já as pessoas-escorpião eu prefiro manter fora da minha vida. Tenho preguiça de joguinhos eternos. E reconheço no comportamento deles uma vulnerabilidade que me decepciona. Quase uma fragilidade imatura. Que aflição! rsrsrs Parabéns pelo texto!

Augusto Amato Neto disse...

Escorpiofóbica, Priscila? rs
O bichinho é intrigante mesmo!
É preciso de estômago pra encarar os jogos do escorpião!
Obrigado pela visita aqui no meus devaneios.
Voltem sempre!
Augusto

Priscila Zavagli disse...

Ia lendo bem até o terceiro parágrafo. Ali parei, e acredito que outros escorpianos talvez façam o mesmo.
Escorpião deve ser mesmo um signo intrigante, por tantas tentativas de decifra-lo que encontramos por aí.
Equívocos e acertos dividem muitos textos de quem tenta descrever nativos deste signo, percebe-se que se esforçam ao máximo, mas sempre há tropeços em pontos cruciais.
Só quem vive nele consegue fazê-lo com precisão.

Augusto Amato Neto disse...

Toda generalização perde as sutilezas do único. De qualquer forma, a crônica é apenas como eu observo os escorpiões, está longe de pretender a descrever todos.
O aforismo que postei hoje pela manhã conclui: Alguns escritores são excelentes para formular perguntas. Sou do grupo que responde, mesmo que a resposta tenha validade e que precise ser atualizada mais adiante.
Gostei de ver um comentário seu, depois de tanto tempo. Mas aviso aos leitores que pra comentar não é preciso ser Priscila. rs

Priscila Zavagli disse...

Jamais teria graça conhecer tudo, a ponto de não haver surpresas.
Prometo tentar chegar ao final do texto, sou do grupo que pergunta, responde e comenta, mesmo que o comentário tenha validade e precise ser atualizado mais adiante. Rsrs

Augusto Amato Neto disse...

Não estou certo se deveria terminar, vai me matar depois de ler os dois últimos parágrafos (apesar de que duvido que não o faça depois deu ter dito isso).

Priscila Zavagli disse...

Hahahahahahaha Pode ser que eu faça as duas coisas então! :P

Rosa disse...

Ao intimidar sua presa o escorpião se intimida sem perceber.....é como se revelasse intimamente o que quer e como quer eis onde se perde...rs . Bichinho esperto e ao mesmo tempo ingenuo...
Abraços Augusto....muito bom!!!

Lenita disse...

É disse bem quem escreveu "Quase uma fragilidade imatura"!
A vida passa rápido demais para desperdiçar tempo, ou veneno, assim, enjetando aos poucos, guardando pra momentos de necessidade. Mas e ai, vive-se bem apenas de planos?? e a vida, quando ela acontece? Pois é, quando é vivida de verdade, encarando os erros e acertos, respirando e enfrentando os desafios com coragem, e não quando é pensada apenas, articulada ou resguardada!!!
Fato, caríssimo Augusto, "toda generalização perde as sutilezas do único" e esse texto também me trouxe uma sensação única, coisa de momento específico, sentimento confuso, desilusão, decepção, nossa, até mesmo uma certa chateação e pra continuar no ão, também irritação!! rss
Talvez escorpião não saiba que se jogar não é necessariamente sinônimo de quebrar a cara, se jogar é dar-se a oportunidade de conhecer novos horizontes, novas sensações, boas ou não, mas experiência de vida é sempre experiência para a vida!!!!
Ferroadas são boas, afinal, como saber o prazer de viver sem, ou com elas, se não pela experiência?!
Sábio John: "A vida e aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro." J.L.
Gostei do texto!!!! =D

Augusto Amato Neto disse...

Adorei seu comentário, Lenita!
"Talvez escorpião não saiba que se jogar não é necessariamente sinônimo de quebrar a cara, se jogar é dar-se a oportunidade de conhecer novos horizontes, novas sensações, boas ou não, mas experiência de vida é sempre experiência para a vida".
Nos joguemos todos para experiência, algumas renderão muito tempo, outras terminarão brevemente, e nós que devemos buscar algum aprendizado do que foi vivido. Colocar sentido, ou consciência se prefere o termo, no que aconteceu!
Como dizem os franceses: "C'est la vie!" (Isto é a vida!).
Volte mais vezes.
Augusto.

Pedro Júnio disse...

Meu signo é de escorpiao. E esse texto me define um pouco.

Michele F Ribeiro disse...

Sou escorpião com ascendente em escorpião. Acredite, nem eu me aguento. As vezes acho este signo um porre. Nada é suave. As coisas sempre são 8 ou 80. Se estamos no 44, pode saber que o escorpião tomou uma porrada da vida, e se obrigou a baixar a crista. E não é fácil viver assim. O escorpiano pode se considerar um vencedor só por ser escorpiano. Não é fácil. Aquele(a) que conviver com uma pessoa de escorpião pode saber que na sua vida não terá tédio... Só que isso às vezes cansa. Tem que ser um amor maduro mesmo, em que haja mútuo respeito e compreensão. Gostei do que escreveu Augusto.

Michele F Ribeiro disse...

Sou escorpião com ascendente em escorpião. Acredite, nem eu me aguento. As vezes acho este signo um porre. Nada é suave. As coisas sempre são 8 ou 80. Se estamos no 44, pode saber que o escorpião tomou uma porrada da vida, e se obrigou a baixar a crista. E não é fácil viver assim. O escorpiano pode se considerar um vencedor só por ser escorpiano. Não é fácil. Aquele(a) que conviver com uma pessoa de escorpião pode saber que na sua vida não terá tédio... Só que isso às vezes cansa. Tem que ser um amor maduro mesmo, em que haja mútuo respeito e compreensão. Gostei do que escreveu Augusto.