terça-feira, 9 de março de 2010

Perguntas

- Você leu o texto que escrevi?

- Li, mas foi você mesmo que fez?

- Você tá me tirando?

- Sabe que eu gostei do seu desenho?

- Não acredita que eu escrevi mesmo, não é?

- E poderia acreditar?

- Como pode duvidar da minha capacidade?

- Por que não posso colocá-la em dúvida?

- É, você me elogiando não é o que mais acontece, certo?

-Desde quando gostar de todas as coisas que você faz deixou de ser uma obrigação?

- Você caiu do colchão durante a noite? Deu uma topada com o dedão no pé da cama quando acordou? Descobriu que acabou o leite depois de colocar o chocolate na xícara?

- E precisa?

- Credo, ainda espera que comece o dia puxando conversa na mesa do café?

- Quer mesmo que eu responda?

Muitas vezes as respostas estão nas perguntas que fazemos.








Para Valéria Silva, aluna do 3º semestre do curso de Psicologia.

4 comentários:

Rosa disse...

O que dizer...
Quem precisa acreditar Nós ou "Aquele" que esta lendo...agradar a todos...imagina....melhor desagradar para que possa levá-lo a questionar..
Tens razão, temos a resposta, só não percebemos. Precisamos do outro para nos enxergar..
Bom.!
Bjos.

Mariane Herédia disse...

"Muitas vezes as respostas estão nas perguntas que fazemos."

tens toda razão

Valéria disse...

Sim...Muitas respostas são a base da pergunta que se faz....
Nos indagamos tanto que não vemos...Ou sera que não vemos porque tanto nos indagamos??
Muito grata!! Beeeeijos!!!
Valerinha

Augusto Amato Neto disse...

Meninas,
A pergunta que cabe é: qual a função da pergunta que fazemos?
Aparentemente, pode parecer uma coisa, mais funcionalmente quer outra.
Repetimos a pergunta para ver se muda a resposta!
Obrigado pela visita comentada, voltem mais vezes.
Augusto.