sexta-feira, 9 de abril de 2010

Eu o quê?

Eu sinto.

No meu corpo as emoções,

Iluminadas pelas chamas de uma vela,

Cuja sombra estremece conforme os ventos sopram o fogo.

Sombra e luz não aceitam sempre o mesmo ponto de chegada.


Eu canto.

Músicas que dizem o que sinto,

Que as letras descrevem o que vivo,

Ou que as sensações do ritmo me estremecem os sentidos.

Uma letra em idioma desconhecido.


Eu olho.

As configurações de um mundo despercebido,

Os sentimentos estremecidos de uma cena.

Uma estética que define o preferido,

Ou que estranha o descabido.


Eu gosto do solavanco do sentimento,

Do barulho de estar vivo,

De olhar para o ocorrido.

Eu.







2 comentários:

Rosa disse...

Caro amigo Agusto, esse Eu é
Simplesmente Estar Vivo..!

Bjos.
um Santo dia e um tranquilo final de semana...

Augusto Amato Neto disse...

Sim, eu gosto de estar vivo!
Bom fim de semana pra você também...