quarta-feira, 14 de abril de 2010

Impedimentos como portas

Enchente, de Weberson Santiago


Costumamos vislumbrar o futuro. Supor em pensamento o que queremos que aconteça. Parte de nossas atitudes hoje são tomadas com base naquilo que chamamos de sonhos. E essas atitudes nem sempre podem ter resultados imediatos. São idéias lançadas, mesmo que os resultados não sejam momentâneos.

O problema é que o que queremos pode ser contraditório, como se batêssemos em algumas portas que, se abertas, não pudéssemos adentrar em todas. E a vida surpreende. Aquela porta que você bateu palma porque não tinha campainha, gritou na esperança de alguém passar por detrás e abrir a ponto de dar as costas ao silêncio estático, de repente se abre.

Seria a realização do sonho, se outra porta não se abrisse ao mesmo tempo, em que você colhe os resultados que vêm na forma de oportunidades, mas que não podem ser aproveitados ao mesmo tempo. Se não for possível conciliar será, sim, o momento da escolha.

De qualquer maneira, entre em contato com cada uma dessas portas, observe-as desapegadamente e enxergue a sua possível abertura sem paixão alguma. Imagine-se como se fosse o protagonista de um filme demorado e entediante, que você é obrigado a assistir. A melhor maneira de livrar-se dos impedimentos é conhecê-los à fundo.

Você só poderá passar pelo batente e verdadeiramente trilhar o caminho por detrás da porta se tiver sido capaz de conhecer intensamente a espera.








5 comentários:

Rosa Maria disse...

Oi Augusto
Esperar, estamos sempre esperando algo ou alguma coisa.
Espera(nça)....como é bom tê-la e ter paciência para passar pelas provações que se encontra por detrás das portas......rs
Acredito que tenho muita esperança. Acordo todos os dias com a esperança de Ser e Dar o Melhor de mim.
A felicidade consiste em Dar o melhor para a satisfação dos que à minha volta estão...tento!
Bjinhos.....

Augusto Amato Neto disse...

Nossa, Rosinha, tocou fundo o coração do cronista!
Obrigado pelo belo comentário.
Até a tarde,
Augusto.

Alberto Marques disse...

A vida é feita de escolhas. Os sonhos são ações no hoje com olhos no amanhã. Talvez o importante nesta história seja a capacidade de aceitar e transmutar os momentos/quereres do viver.

Sobre a felicidade, que é de Rosa, para mim ela é classificável e pessoal. Não só ela, como qualquer forma de sentir. São criações e abstrações do ser.

Augusto Amato Neto disse...

Alberto,
Aceitar os momentos e os quereres, eis o desafio.
Sobre o comentário da Rosinha, o que me chamou a atenção foi as provocações de quem se esconde por detrás da porta, mais a questão da esperança. Esperar, esperar e esperar... Sem se perder!
Obrigado pela visita, volte sempre!
Abraços,
Augusto.

Rosa Maria disse...

Oi Alberto e Augusto.
Me lembrei dessa música "É Preciso Saber Viver" de Titãs... eis a letra para vocês.

Quem espera que a vida
Seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco
Ou viver na solidão
É preciso ter cuidado
Prá mais tarde não sofrer
É preciso saber viver...

Toda pedra no caminho
Você pode retirar
Numa flor que tem espinhos
Você pode se arranhar
Se o bem e o mau existem
Você pode escolher
É preciso saber viver...

É preciso saber viver!
É preciso saber viver!
É preciso saber viver!
Saber viver!...

Toda pedra do caminho
Você pode retirar
Numa flor que tem espinhos
Você pode se arranhar
Se o bem e o mau existem
Você pode escolher
É preciso saber viver...

É preciso saber viver!
Saber viver! Saber viver!.

Abraços aos dois....