quarta-feira, 12 de maio de 2010

Fabro, Carpina, Carpinejar

O poeta sentimental não apenas reflete, mas também convida
o leitor a percorrer o mesmo fio de raciocínio
em relação ao objeto. Werner Wilhelm Jaeger


Fabrício Carpinejar e eu na Oficina de Crônicas

3 comentários:

Pri Sganzerla disse...

Que legal! :-)

Rosa Maria disse...

OI, Que inveja.......
BJinhos....
Deus te ilumine sermpre...!
Abraços.

Valéria disse...

Que duupla!
Parabéns!!
=)