domingo, 3 de julho de 2011

A Hora de Podar

Arte de Weberson Santiago


É preciso saber a hora de podar.

Um amigo me contou que, para manter as árvores da frente de sua casa, passou a observar as árvores da mesma espécie que considerava as mais bonitas da cidade. Quando ele percebia a poda naquelas que ele julgava bem cuidadas, partia a aparar as suas. Esperava que assim tivesse árvores tão bonitas quanto as que ele admirava.

Da mesma forma, nós precisamos saber a hora de podar as coisas com as quais estamos envolvidos e que precisam ser cortadas. Para nós seres humanos, aceitar que é chegada a hora de por fim é um bocado difícil. Enxergar que é preciso encerrar uma atividade. Abandonar um velho hábito. Se afastar de uma pessoa que não nos faz bem. Deixar um emprego onde não somos valorizados.

Diferentemente das árvores de mesma espécie, espécimes humanos não tem sempre o mesmo dia de poda e não é possível esperar o outro fazer para então imitar. Cada um tem o seu tempo e passa pelas estações de forma diferente. Para podar, precisamos de coragem. Precisamos deixar o medo de lado. Precisamos achar força em um momento de fraqueza e insegurança.

Aprender a tolerar os momentos de angústia, quando os pensamentos e sentimentos parecem um enxame de abelhas. O excesso de zunidos que incomodam. Quem chega perto corre um grande risco de levar uma ferroada.

Mas é no meio da confusão da colmeia que o mel é produzido. Cada um com seu papel. Trabalhando em conjunto. Aceitando um pouco de dependência dos outros. Nestes momentos críticos é que descobrimos quem está disposto a enfrentar o enxame conosco.

E é no coletivo que novamente nos tornamos produtivos. Enquanto estamos ao lado de quem nos acolhe, podemos sentir que há força para continuar. E assim perceber que um fim também é um recomeço e que devemos seguir adiante.

Ao invés de esperar que as coisas se resolvam por si só, é agir para que elas mudem. É no corte do caule que surge um broto cheio de vida e força.

Os dissabores que passamos reorientam os nossos passos. É quando nos permitimos refletir sobre eles que descobrimos o que é certo e o que é errado, o que é comodismo e o que é coragem, o que é verdade e o que é mentira, o que é realidade e o que é ilusão.

Se cortarmos cedo demais, impedimos o florescer. Se deixarmos passar da hora, colhemos o fruto podre.

UM CAFÉ E A CONTA!

| Na hora de por fim aos problemas, é preciso tomar cuidado. Pode-se cortar o que é destoante e promissor ao invés do que precisa ser mudado e amarra.


Publicado no Jornal Democrata, coluna Crônicas de Padaria

Caderno Cultura, p. 3, 02/07/2011, Edição Nº 1154.


2 comentários:

Dani Taylor disse...

Muito bom... curtido e divulgado por @dani_coach.

Aneline disse...

Eh, para se realizar uma poda realmente é necessário ousadia e coragem, pois compreender o que deve ser feito é até relativamente fácil, difícil é transformar nossos pensamentos em ações.
Aneline