sábado, 30 de dezembro de 2017

O Que Você Aprendeu no Ano que Passou?

Arte de Weberson Santiago



O final do ano se aproximando nos faz refletir sobre o que produzimos durante os meses que se passaram. Como eu comecei o ano e como estou terminando? Quais foram minhas conquistas e quais foram as minhas perdas?

O prazo de um ciclo se fechando costuma ter um efeito psicológico. É um período de recolhimento, de reflexão, de introspecção. É assim antes do aniversário, quando concluímos um curso, quando o ano termina, e em muitas situações de fechamento, de encerramento, de conclusão.

Muitas pessoas sentem desconforto com os sentimentos gerados por estas situações, não lidando bem com o que um final lhe gera no mundo das emoções. Ainda mais quando a reflexão fica distorcida pelo olhar que teima em enxergar mais os eventos negativos do que os positivos.

Os ganhos precisam ser reconhecidos e agradecidos, mas é muito importante que reconheçamos através dos nossos próprios sentimentos negativos aquelas situações ou pessoas que nos incomodam e nos fazem sofrer. Só quando encaramos este tipo de sentimento e o contexto que nos deixa assim é que podemos mudar a maneira com que enfrentamos essas situações.

Na verdade, nós nos acostumamos com o que é ruim. Não me esqueço de um caso que me relataram de uma mulher que tinha um marido violento com quem foi casada por trinta anos, que passou alguns anos lamentando sistematicamente a sua morte. E também não me esqueço de um conhecido que sempre reclamava do seu chefe, mas sempre preferiu o chato conhecido do que correr o risco de encarar o desconhecido em um outro trabalho. Eles se acostumaram com o que lhes era ruim. Buscaram coisas e situações para se distrair de seus sentimentos e pensamentos negativos que lhes diziam que era hora de mudar.

É justamente isso que faz com que vivamos uma vida sem valor, que constatemos que o balanço de um ano foi negativo. Comemore suas conquistas, mas não ignore as lições que as experiências ruins lhe proporcionaram e não tampe os seus ouvidos para os recados que os seus pensamentos e sentimentos negativos lhe dão.

O que faz com que a vida valha a pena é agir na direção do que faz o nosso coração arder de vontade de realizar. Que pode estar distante, e mesmo que só possa ser conquistado com muito sacrifício e aos poucos, você escolhe se entregar à busca. A vantagem é que cada passo dado nesta direção se torna, por si só, uma realização.

E nesse novo ano que começa, você vai passar fingindo que não vê os seus incômodos ou vai passar agindo na direção do que você valoriza?

  UM CAFÉ E A CONTA!
| Pode ser que não dê para mudar de imediato, mas quando aguentamos o que é desconfortável mais um pouco em nome de algo maior, o incômodo diminui.
Publicado no Jornal Democrata, coluna Crônicas de Padaria, caderno Dois, 30/12/2017, Edição Nº 1492.

Nenhum comentário: